Rubricas

Pokémon: Não há duas sem três

Escrito por Diogo Ventura

Depois de Kanto e Johto, eis que chegamos a Hoenn, a terceira e última região que podemos visitar através dos ecrãs das consolas Game Boy. Desta vez damos um salto e passamos de Game Boy Color para Game Boy Advance, com melhores gráficos e jogos visualmente mais apelativos.

Depois de Pokémon Gold e Pokémon Silver, surgiram, por cá em 2003, Pokémon Ruby e Pokémon Sapphire, os primeiros títulos referentes à terceira geração da série, lançados para Game Boy Advance.

 

Não há duas sem três

Após o sucesso das duas primeiras gerações de Pokémon, a Game Freak (que desenvolveu os jogos anteriores) depressa criou um novo e melhorado mundo, onde o jogador pode encontrar e explorar novos desafios, conhecer um enredo diferente e mais completo do que o habitual e capturar novos Pokémon.

Pokémon Ruby e Pokémon Sapphire chegaram à Europa e à América do Norte em 2003, mas foram lançados no Japão no final de 2002, cumprindo a tradição de estrear em terras nipónicas os novos jogos da série. À semelhança do que acontecera com os últimos títulos lançados, as vendas continuaram a decrescer e Pokémon Ruby e Pokémon Sapphire somaram um total de 16,2 milhões de unidades vendidas, o que equivale a um resultado de quase menos 7 milhões de unidades em comparação a Pokémon Gold e Pokémon Silver. Ainda assim, estes títulos para Game Boy Advance alcançaram uma popularidade razoável, sendo também passados para filmes e para a série Anime de Pokémon.

 

 

 

E não há (mesmo) duas sem três

Não há duas temporadas sem três, nem dois jogos sem três. Se era regra termos três títulos por temporada, nesta terceira geração não houve exceções. Em 2005, cerca de dois anos depois de Pokémon Ruby e Pokémon Sapphire, chegou ao mercado Pokémon Emerald, que encerrou a região de Hoenn, com novas opções de batalha e uma nova dimensão a explorar além do que nos foi apresentado em Pokémon Ruby e Pokémon Sapphire.

Pokémon Emerald confirmou a tendência decrescente de vendas dos jogos da saga, ao não passar da casa dos 6 milhões de unidades vendidas. Fechado este título, os RPG de Pokémon para Game Boy haviam terminado e começavam a ser preparados novos mundos e novos Pokémon para a nova consola da Nintendo, a Nintendo DS.

 

 

Terminamos assim e por aqui, em Hoenn, a nossa pequena viagem pelos jogos de Pokémon para Game Boy e Game Boy Advance.

Eu regresso para a semana, até lá: Bons jogos!

Sobre o autor

Diogo Ventura

Praticamente toda a minha família é alentejana, mas eu fiz um desvio e fui nascer a Vila Franca de Xira. Ainda assim, passei algum tempo da minha infância no Alentejo, o que fez com que me apaixonasse por aquela que considero ser uma das mais bonitas regiões de Portugal.
Licenciei-me em Publicidade e Marketing, pela Escola Superior de Comunicação Social, mas interesso-me por muitas outras áreas como o Jornalismo, a Televisão, a Rádio e o Cinema. Gosto de ler, escrever, ouvir e contar histórias. Na minha opinião, os contos, as histórias e todas aquelas fábulas que bem conhecemos não são apenas para as crianças, mas também para os adultos. Para mim, uma história bem contada é a melhor forma de ilustrar uma ideia ou uma teoria e de transmitir um pensamento.
Acredito que a humildade não é, de forma alguma, inimiga do sucesso e que, independentemente da idade, da escolaridade ou da profissão, todos nós temos algo a aprender com os outros e alguma coisa para ensinar a quem nos rodeia.

Deixe um comentário