Cultura

RTP anuncia os 26 compositores do Festival da Canção 2018

A RTP revelou esta tarde a lista dos 26 compositores que vão criar os temas participantes no Festival da Canção 2018. Depois da vitória de Salvador Sobral, o interesse entre os músicos português aumentou, e a estação pública apresenta uma lista cheia de nomes conhecidos.

Diversidade e qualidade são os dois pontos chave do próximo Festival da Canção, o concurso da RTP que escolhe o tema que representa Portugal no Festival da Eurovisão. O canal convidou 22 compositores, Salvador Sobral escolheu mais um, dois saíram de um concurso aberto a nível nacional para músicos amadores, e o derradeiro foi escolhido pela Antena 1, através do programa Master Class.

Os 26 compositores são, então, os seguintes:

Miguel Ângelo
Diogo Piçarra
José Cid
Tito Paris
Júlio Resende
Isaura
Benjamim
Malu Magalhães
Fernando Tordo
João Afonso
Aline Frazão
JP Simões
Paulo Flores
Armando Teixeira
Francisca Cortesão
Capicua
Rita Dias
Diogo Clemente
Janeiro
Nuno Rafael
Peter Serrado
Francisco Rebelo
Jorge Palma
Daniela Onis
Paulo Praça
Bruno Cardoso

Estes compositores têm agora de criar uma canção e de escolher a voz ideal para a defender no Festival da Canção do próximo ano. Tal como aconteceu na edição que coroou Salvador Sobral, existirão duas semifinais, a 18 e 25 de fevereiro, e uma grande final, a realizar-se no Pavilhão Multiusos de Guimarães, a 4 de março. Em cada semifinal participarão 13 temas e apenas sete passarão à gala final, onde, ao todo, 14 temas disputarão o privilégio de defender o título de vencedor da Eurovisão, conquistado pela canção Amar Pelos Dois.

O Festival Eurovisão da Canção 2018 realizar-se-á em Lisboa, a 10, 12 e 14 de maio, no MEO Arena.

Fonte: RTP

Sobre o autor

Gonçalo Esteves Coelho

Sou um poço de contradições. Não gosto de falar mas sou jornalista. Adoro escrever mas cada vez leio menos. Sou sereno mas não consigo resistir a soltar a minha alegria quando escuto música popular. Não gosto do calor mas adoro o mar português, a sua frescura, o seu sal, as histórias que tem para nos contar. Odeio tomar decisões e, no entanto, sou o CEO deste projeto.
Nasci em Lisboa, há 21 anos. O meu coração, vermelho e verde, bate por Portugal e por todos aqueles em cujas veias corre igual amor a este país, à nossa gente, à nossa cultura. Vivo perto de Sintra, esse livro de História a céu aberto, em cujos recantos gosto de me perder. Adoro museus, palácios, castelos e igrejas. Regressei ao Ensino Superior e lancei-me numa nova aventura, sem a qual não conseguiria realizar-me totalmente: o estudo da História.
Em pequeno, havia quem me dissesse que iria ser jornalista. Também me diziam que deveria ser professor de História e que tinha tudo para ser um novo José Hermano Saraiva. Se calhar sou muito transparente naquilo de que gosto, ou então essas pessoas conheciam-me muito bem. Acertaram. O que virá depois eu não sei. Escolha que caminho escolher, terei de ser eu próprio. Sempre.

Deixe um comentário