Dia Num Minuto Rubricas

Dia Num Minuto – 10 de abril de 2017

Escrito por Ariana Nobre

Acordou à pressa, a pausa para o café foi demasiado curta e não conseguiu folhear o jornal. Os dias correm cada vez mais rapidamente e sente que não está a par do que acontece em Portugal e no Mundo? Leia os acontecimentos que hoje foram notícia.

Polícia espanhola inicia investigação no hotel de Torremolinos

Após denúncias feitas pela administração do hotel e pelo operador que organizou a viagem de finalistas onde alegados danos foram causados por centenas de jovens em Espanha, a polícia espanhola iniciou esta segunda-feira uma investigação. Uma fonte das autoridades afirma que foram feitos estragos na ordem dos 50 mil euros no hotel de Torremolinos e o proprietário do hotel foi acusado, por uma das proprietárias da agência de viagens, de “má-fé” por não ter mostrado os estragos alegadamente provocados pelos estudantes.

Passageiro violentamente expulso de um avião da United Airlines

Um passageiro foi arrastado para fora de um avião da United Airlines que fazia a ligação entre Chicago e Louisville. O homem, médico asiático, que viajava para consultar alguns pacientes, foi brutalmente retirado do seu lugar por não ter aceitado sair do avião devido a sobrelotação do mesmo. Uma testemunha afirma que todos os passageiros foram questionados acerca da possibilidade de trocar de voo mas não houve quem se voluntariasse e os funcionários permitiram que todos entrassem no avião. As imagens gravadas no momento tornaram-se virais nas redes sociais. No comunicado emitido, a United Airlines justifica a retirada violenta do passageiro pela simples falta de lugares no avião.

Condenado a 9 prisões perpétuas

O autor de um massacre numa igreja de Charleston, nos EUA, foi hoje condenado a 9 prisões perpétuas após ter assumido a autoria dos crimes. Dylann Roof, de 23 anos, entrou na igreja afro-americana, no estado da Carolina do Norte, e matou nove pessoas. Admitiu mais tarde que pretendia iniciar uma “guerra racial”.

Sobre o autor

Ariana Nobre

Gosto da linha da frente, de quem me afervente. É o impulso que me elege, o fogo que me correge. Aprecio a energia, o movimento, a euforia, a loucura que Campos elegia nos poemas que escrevia. É a escrita que me motiva, ingénua ou agressiva. É sugestiva e abrasiva, o mundo amado de forma compulsiva.

Deixe um comentário