Dia Num Minuto Rubricas

Dia num Minuto: 9 de Abril de 2017

Escrito por Ana Rita Caldeira

Acordou à pressa, a pausa para o café foi demasiado curta e não conseguiu folhear o jornal. Os dias correm cada vez mais rapidamente e sente que não está a par do que acontece em Portugal e no Mundo? Leia os acontecimentos que hoje foram notícia.

Duplo atentado no Egipto faz pelo menos 44 mortos

Começou assim a semana santa dos cristãos, com dois ataques em igrejas coptas no Egipto. Pelo menos 36 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas. O primeiro ataque teve lugar na igreja de São Jorge, no Delta do Nilo, e fez pelo menos 25 mortos. Poucas horas depois um bombista suicida fez-se explodir na Catedral de São Marcos, em Alexandria. Pelo menos 11 pessoas morreram neste segundo ataque. Os atentados já foram reivindicados pelo Estado Islâmico e o Presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sissi, anunciou um “estado de emergência por três meses”.

Suspeito de atentado em Estocolmo tinha ordem de deportação

O suspeito do atentado terrorista que vitimou mortalmente 4 pessoas em Estocolmo tinha uma ordem de deportação pendente. Esta informação foi divulgada este domingo, dois dias depois do atentado, pelas autoridades suecas, que informam agora que o homem do Uzbequistão era procurado por não ter abandonado o país em dezembro. Este domingo foi também anunciada a identidade dos quatro mortos – dois suecos, um britânico e um belga – e foi detido um segundo suspeito, envolvido no atropelamento com camião, de que também resultaram 15 feridos.

Amnistia Internacional critica Guterres

A diretora do gabinete da Amnistia Internacional criticou os primeiros 100 dias de António Guterres na ONU. “Não vimos qualquer ação, quaisquer esforços tangíveis. Apesar das viagens que ele fez à região há uns meses, logo no início do seu mandato”, disse Sherine Tadros relativamente ao Iémen. Acrescentou ainda: “Ele disse que este é um dos principais temas que iria atacar e ouvimos coisas muito positivas sobre a forma como gosta de se envolver pessoalmente na mediação. No entanto, não vimos nada.”

Sobre o autor

Ana Rita Caldeira

Vivo e estudo em Lisboa, mas o meu coração está em Albufeira, perto da minha família, das praias, do sol, do silêncio, dos meus 6 cães e 2 gatos.
Sou fã de Gabriel García Marquez, de José Saramago, de escrever, de descobrir, de viajar, do Sporting, de jogar voleibol, de esplanadas e programas de culinária.
Como Ardina, quero conseguir produzir o que não vejo nos jornais portugueses e tornar o jornalismo um mundo menos assustador.

Deixe um comentário