Tech&TV Tecnologia e Ciência

Foi desenvolvido um novo veículo autónomo para a indústria 4.0

A Active Space Technologies, em colaboração com a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), desenvolveu um inovador veículo de condução autónoma (AGV, Automated Guided Vehicle) que irá revolucionar as fábricas do futuro.

Foi desenvolvido pela empresa Active Space Technologies um AGV revolucionário para apoiar a designada indústria 4.0. Esta indústria, também designada de quarta revolução industrial, é uma indústria apoiada em modelos informáticos que automatiza processos e maquinaria e que se encontra em rede através da internet, nas chamadas nuvens de informação. Deste modo apresenta uma grande flexibilidade e ritmos de produção muito elevados.

Uma equipa de seis investigadores, do Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores da FCTUC, está a desenvolver um sistema de posicionamento (algo semelhante a um GPS indoor) para o AGV com a Active Space Technologies.

Com uma arquitetura inovadora este veículo sem condutor integra diversos componentes “que o orientam em percursos preestabelecidos, de forma autónoma e rápida, e tem uma capacidade de carga muito elevada, de 800 Kg”, explica o responsável da Indústria da Active Space Technologies, Luís Coelho.

Mas como aplicar um veículo 4.0 a fábricas não industrializadas de raiz como 4.0? “Este AGV tem um nível de flexibilidade bastante elevado, adaptando-se às estruturas existentes nas fábricas atuais, o que permite ganhos significativos em todo o processo de produção”, esclarece Luís Coelho.

O novo veículo está a ser utilizado pela Autoeuropa e, se o quiser ver, pode ir à sua apresentação na EMAF – Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços para a Indústria, que teve início a 23 de novembro, ou na Exponor, Feira Internacional no Porto.

Fotos e Vídeo: Active Space Technologies

Sobre o autor

Ana Margarida Pereira

Mulher das Ciências de diploma e aprendiz de Comunicadora de Ciência aventuro-me pelo mundo do Jornalismo - aqui no Ardinas escrevo na secção de Ciência.

Os meus traços mais peculiares, fora a personalidade, para a maioria das pessoas, é viver na Amadora, ser alérgica à canela e apesar de não ter piada nenhuma querer ser comediante.

Deixe um comentário