Sociedade

Está a chegar a rede elétrica inteligente!

O projeto europeu UPGRID vai instalar, até 2017, quatro grandes demonstradores de redes elétricas inteligentes na Europa, incluindo Portugal. Quatro entidades nacionais estão a conduzir um inquérito que pretende analisar o nível de conhecimento dos portugueses relativamente ao tema das redes elétricas e mostrar as vantagens das mesmas para o consumidor e para o meio ambiente.

Sabe o que é uma rede elétrica inteligente? Quatro entidades nacionais vão explicar este tema relacionado com a energia do futuro no nosso planeta! A EDP Distribuição – Energia, S.A., o INESC TEC (Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência), a WITHUS – Inovação e Tecnologia, Lda. e a NOS são as entidades portuguesas que fazem parte do UPGRID, que conta com um orçamento de €15,7M. O projeto europeu pretende, até 2017, instalar quatro grandes demonstradores de redes elétricas inteligentes na Europa, em Portugal (Parque das Nações), Espanha (Bilbao), Suécia (Åmål) e Polónia (Gdansk).

Dentro do projeto UPGRID, os parceiros nacionais do projeto juntaram-se para avaliar o grau de conhecimento dos portugueses em relação à rede elétrica do futuro. Para isso está a ser conduzido um inquérito que pode ser respondido por todos em http://upgrid-inquerito.inesctec.pt/index.php/inquerito/.

noname

“As respostas que iremos obter nos inquéritos irão despoletar uma série de ações adequadas para sensibilizar os portugueses a compreender a forma como utilizam a sua energia elétrica. Acima de tudo, pretendemos que a população portuguesa compreenda que o conhecimento do consumo e controlo dos diversos dispositivos elétricos existentes nas suas habitações irá permitir, num futuro próximo, obter ganhos significativos na eficiência energética com vantagens não só económicas, mas também ambientais”, explica o coordenador do Centro de Sistemas de Energia do INESC TEC, Luís Seca.

Quem participar neste inquérito nacional pode ter direito a alguns prémios a anunciar no decorrer do processo e receber novidades acerca do projeto UPGRID. “O tipo de resposta dos consumidores ao inquérito permitirá traçar o seu perfil quanto ao grau de conhecimento do funcionamento do sistema elétrico, que será depois agrupado e tipificado em vários níveis. O inquirido vai ter acesso a toda esta informação”, afirma o investigador do INESC TEC.

Mas o que são afinal redes elétricas inteligentes?

As redes elétricas inteligentes foram impulsionadas pelo aparecimento dos contadores inteligentes, contadores cuja leitura pode ser feita à distância. Estes contadores, além de facilitarem a comunicação entre o cliente e a empresa de rede elétrica, quando aliados a outros equipamentos podem fornecer ao operador informação importante sobre o estado da rede e permitem ao consumidor saber em tempo real exatamente qual o consumo de cada um dos eletrodomésticos que tem em sua casa.

As redes inteligentes assentam nas mesmas capacidades que os contadores inteligentes. Ao criarem a possibilidade de interação permanente, em tempo real, entre o operador da rede elétrica, o consumidor e os equipamentos instalados na rede e nos locais de consumo (lares, escritórios, fábricas, entre outros), estas redes tornam possível, a todo o instante, a tomada de decisões e ações que desviem fluxos de energia evitando, assim, problemas pontuais de sobrecarga, provocados por concentrações ocasionais de procura de energia, e gastos de energia desnecessários.

O inquérito vai estar disponível até finais de dezembro, altura em que vão começar a ser traçados os perfis. No início de 2017 as quatro entidades portuguesas que fazem parte do projeto vão tornar públicos os resultados e promover uma série de ações de sensibilização para esta questão.

Do projeto UPGRID 19 fazem parte parceiros de sete países europeus: Portugal, Espanha, Polónia, Suécia, Reino Unido, França e Noruega (como país associado).

Fotos: Assessoria de imprensa INESC TEC

Sobre o Autor

Ana Margarida Pereira

Mulher das Ciências de diploma e aprendiz de Comunicadora de Ciência aventuro-me pelo mundo do Jornalismo - aqui no Ardinas escrevo na secção de Ciência.

Os meus traços mais peculiares, fora a personalidade, para a maioria das pessoas, é viver na Amadora, ser alérgica à canela e apesar de não ter piada nenhuma querer ser comediante.

Deixe um comentário