Ciência

Novo cimento ósseo dá esperança ao tratamento de fraturas nas vértebras

Uma equipa de investigadores da Universidade de Aveiro (UA) descobriu uma fórmula de melhoramento de cimento ósseo que promete ser muito eficaz na regeneração óssea, em particular, na regeneração de vértebras fraturadas.

O cimento ósseo é um polímero que é injetado no interior de ossos fraturados de modo a regenerá-los. A investigadora em Ciência e Engenharia dos materiais da UA, Paula Torres, no seu doutoramento, quis focar-se na investigação das propriedades do cimento ósseo utilizado na vertebroplastia, um procedimento médico que tem por objetivo tratar fraturas na coluna vertebral através da injeção de cimento ósseo nas mesmas. As fraturas na coluna vertebral estão geralmente associadas a fraturas acidentais ou à Osteoporose (perda de massa óssea).

O que a equipa da Universidade de Aveiro (UA) fez foi, pela primeira vez, combinar em quantidades q.b., o manganês, o estrôncio e a sucrose (um tipo de açúcar) que “não só melhoraram muito o desempenho biológico, tais como a adesão e crescimento de células osteoblásticas [células do osso] na superfície do cimento, como também aumentaram o tempo de manuseamento, promovendo as injeções eficazes e uma melhoria significativa das propriedades mecânicas”, explica Paula Torres.

Investigadora Paula Torres com uma amostra do cimento ósseo promissor

Investigadora Paula Torres com uma amostra do cimento ósseo promissor

Para ser utilizado na vertebroplastia o cimento ósseo tem também de ter a viscosidade certa para poder ser manuseado e injetado através da agulha da seringa, uma velocidade de endurecimento adequada, uma resistência mecânica comparável à do osso, e ainda potenciar o rápido crescimento do novo osso. Os resultados obtidos ao longo das várias fases do estudo culminaram na obtenção de um cimento com as propriedades gerais indicadas muito promissoras.

Este trabalho contou com a colaboração de uma equipa de investigação multidisciplinar vasta não só da UA mas também do Instituto politécnico de Viana do Castelo e da Robert Mathys Stiftung Foundation (na Suíça).

Sobre o autor

Ana Margarida Pereira

Mulher das Ciências de diploma e aprendiz de Comunicadora de Ciência aventuro-me pelo mundo do Jornalismo - aqui no Ardinas escrevo na secção de Ciência.

Os meus traços mais peculiares, fora a personalidade, para a maioria das pessoas, é viver na Amadora, ser alérgica à canela e apesar de não ter piada nenhuma querer ser comediante.

Deixe um comentário