D’Alva apresentam segundo single de novo álbum

D’Alva apresentam P’ÓDIO, o segundo single retirado de MAUS ÊXITOS, o segundo longa-duração do duo, a menos de um mês da sua edição. O álbum chega às lojas a 12 de outubro.

Depois do single Verdade sem Consequência, editado em maio, num registo que apanhou todos desprevenidos, e que ocupou meses a fio o primeiro lugar em tops de rádios como a Antena 3 ou Radar, chega P’Ódio, uma canção que ironicamente começa com a frase “…não aspiro a esse pódio”.

Musicalmente bem mais próxima do universo sonoro de D’Alva, revela imediatamente alguma maturação musical, quer na produção quer na interpretação, e numa escrita bem ao jeito de #LLS: directa, aparentemente descontraída e regada a q.b. de ironia.

“P’Ódio aborda a ansiedade que advém de nos expormos à crítica e escrutínio, e de como deve ser a nossa relação para com quem apenas “fala muito e não faz nada”. É um “vive e deixa viver”, mas algo que se estende para além da música e para o quotidiano e as presentes dinâmicas e interacções sociais”, explica Ben Monteiro.

Se, para muita gente, D’Alva é sinónimo de descontracção e leveza, o videoclipe que acompanha este single revela a intensidade com que Alex D’Alva Teixeira, Ben Monteiro e restantes membros que os acompanham se entregam aos espectáculos e ao público. A realização/produção é mais uma vez totalmente D.I.Y. pela mão de Ben Monteiro, num registo acima de tudo documental, e que mostra uma verdade que em certa medida só os D’Alva verdadeiramente conheciam de si mesmos: bem para além do hype, dos discos, das canções, dos memes, dos likes, das visualizações, os D’Alva são compreendidos ao vivo. Se em estúdio pela mão da produção de Ben Monteiro a elasticidade com que saltam de género é inigualável, o mesmo acontece ao vivo pela mão do front-man puro que é Alex D’Alva Teixeira.

Os D’Alva querem (re)definir-se pelo que são, com “mais acção e menos conversa”, e P’Ódio é mais um capítulo que nos introduz aos seus MAUS ÊXITOS

Foto: Cristiana Morais

Sobre Gonçalo Esteves Coelho 363 artigos
Sou um poço de contradições. Não gosto de falar mas sou jornalista. Adoro escrever mas cada vez leio menos. Sou sereno mas não consigo resistir a soltar a minha alegria quando escuto música popular. Não gosto do calor mas adoro o mar português, a sua frescura, o seu sal, as histórias que tem para nos contar. Odeio tomar decisões e, no entanto, sou o CEO deste projeto. Nasci em Lisboa, há 21 anos. O meu coração, vermelho e verde, bate por Portugal e por todos aqueles em cujas veias corre igual amor a este país, à nossa gente, à nossa cultura. Vivo perto de Sintra, esse livro de História a céu aberto, em cujos recantos gosto de me perder. Adoro museus, palácios, castelos e igrejas. Regressei ao Ensino Superior e lancei-me numa nova aventura, sem a qual não conseguiria realizar-me totalmente: o estudo da História. Em pequeno, havia quem me dissesse que iria ser jornalista. Também me diziam que deveria ser professor de História e que tinha tudo para ser um novo José Hermano Saraiva. Se calhar sou muito transparente naquilo de que gosto, ou então essas pessoas conheciam-me muito bem. Acertaram. O que virá depois eu não sei. Escolha que caminho escolher, terei de ser eu próprio. Sempre.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.