“Living the Vanlife”: portugueses a concurso em festival do Brasil

O The Outside Crowd vai participar no festival de cinema do Lagoa Surfe Arte, realizado em Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Este festival respira cultura de surf com arte, cinema, conversas e convidados. Há um projeto português, que se move entre os mesmos assuntos, a participar.

“Living the Vanlife” é uma curta metragem portuguesa a concurso neste festival brasileiro, realizada por João Diogo Polónio e com Filipa Bento como produtora. Produzido num formato “Transmedia Storytelling”, após a estreia no Brasil, esta curta metragem e restantes conteúdos ficarão disponíveis no site do The Outside Crowd.

Este pequeno documentário conta a vida de quem preferiu trocar o conforto de uma casa num apartamento ou vivenda pela adrenalina da vida sobre quatro rodas, a bordo de carrinhas adaptadas – as van.

Pode ver em baixo um pequeno teaser da curta metragem:

O The Outside Crowd é composto por dois jovens portugueses: João Polónio e Filipa Bento. O projeto começou há três anos, no Baleal em Peniche, quando João quis perceber “o que se passava fora de água no mundo do surf”, conforme explica no site oficial. Vídeos e documentários são o produto que sai das mãos e das lentes destes dois jovens cineastas e produtores, sempre com o foco colocado nas pessoas que, depois dos sets, das manobras e da competição, assumem a sua vida quotidiana.

Sobre Gonçalo Esteves Coelho 362 artigos
Sou um poço de contradições. Não gosto de falar mas sou jornalista. Adoro escrever mas cada vez leio menos. Sou sereno mas não consigo resistir a soltar a minha alegria quando escuto música popular. Não gosto do calor mas adoro o mar português, a sua frescura, o seu sal, as histórias que tem para nos contar. Odeio tomar decisões e, no entanto, sou o CEO deste projeto. Nasci em Lisboa, há 21 anos. O meu coração, vermelho e verde, bate por Portugal e por todos aqueles em cujas veias corre igual amor a este país, à nossa gente, à nossa cultura. Vivo perto de Sintra, esse livro de História a céu aberto, em cujos recantos gosto de me perder. Adoro museus, palácios, castelos e igrejas. Regressei ao Ensino Superior e lancei-me numa nova aventura, sem a qual não conseguiria realizar-me totalmente: o estudo da História. Em pequeno, havia quem me dissesse que iria ser jornalista. Também me diziam que deveria ser professor de História e que tinha tudo para ser um novo José Hermano Saraiva. Se calhar sou muito transparente naquilo de que gosto, ou então essas pessoas conheciam-me muito bem. Acertaram. O que virá depois eu não sei. Escolha que caminho escolher, terei de ser eu próprio. Sempre.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.