À boleia até ao paraíso

Para quem nos segue regularmente nas nossas redes sociais (Site, Instagram e/ou Facebook ), já deve saber que Perhentian Islands, na Malásia, foi o nosso sítio preferido entre todos pelos que passámos na Ásia nos nossos 8 meses de viagem.

Pois bem, depois daquele mês a viver a 25€ (leia aqui o último artigo) numa mansão em Mersing, Malásia, era altura de sair de casa e voltar a explorar sítios novos! Mal imaginávamos nós que o próximo destino iria ser o nosso sítio preferido desta mega viagem: Perhentian Islands. 

Como sabem, na primeira vez que tivemos na Malásia (antes de Bali), tínhamos visitado a costa Oeste da Malásia, mais propriamente, a ilha de Langkawi , que nós gostámos mas que não nos fascinou propriamente (principalmente pelas praias). Ao falar com locais, muitos nos aconselharam a visitar a costa Este da Malásia ‘’que é mais bonita’’. Quisemos então confirmar e fomos para as Perhentian Islands, um par de ilhas na Costa Nordeste da Malásia, muito perto da Tailândia.

Ir para a parte Nordeste da Malásia, equivalia a voltar a subir a costa toda, desta vez a Costa Este. E assim o fizemos! Após um mês de repouso, voltamos a colocar as mochilas e a experenciar horas, que pareciam infinitas, em autocarros. Primeira paragem, apenas temporária numa vila, onde teriamos que apanhar outro autocarro para o verdadeiro destino, as ilhas. Chegámos tarde e já não saíam mais autocarros. Estávamos numa zona claramente não muito turística e nem encontrávamos hostéis onde passar a noite, portanto acabámos por arranjar a melhor solução! Uma que sempre nos safou, sem exceção nesse dia: boleias! Cinco minutos de dedo esticado e lá estávamos nós a caminho, era uma viagem de 2h até à vila de pescadores onde apanhariamos o barco para a ilha.

Era véspera de eleições para eleger o novo Primeiro Ministro da Malásia, o que nos deu muito assunto entre boleias. Aprendemos que o antigo Primeiro Ministro estava a ser acusado de roubar biliões (sim, biliões) de dólares e que chegava a pagar aos mídia para que a todas as pequenas cidades do país só chegasse a informação que ele queria. Este mesmo primeiro ministro também estava a concorrer às eleições novamente e continuava com bastantes apoiantes, inclusive a nossa segunda e última boleia. Um jovem médico que trabalhava na cidade onde nos apanhou mas que todos as sextas-feiras fazia uma viagem de 2 horas para passar o fim-de-semana na sua casa, com os seus filhos e a sua mulher. Desta vez ia mais cedo para votar, no mesmo primeiro ministro, admitiu já ter ouvido os rumores dos roubos mas acha que a culpada disso tudo é apenas própria a mulher. Rimo-nos desta imaginação mas também são estas pequenas coisas que nos recordam algumas mentalidades destes povos. Com tantas histórias, até já nós estávamos prontos para votar se pudéssemos (risos). 

Não só pudemos experenciar umas eleições super importantes na Malásia, como também tivemos oportunidade de provar uma outra tradição local. Ao longo do caminho vimos várias barracas de comidas com filas enormes de pessoas e este jovem que nos deu boleia lá nos explicou que estavam todos à espera de Keropok Lekor, uma especialidade do estado de Terengannu, uma espécie de salsichas de peixe. Primeiro cozidas, depois fritas. Como puro Malasiano deste estado, este jovem e a sua mulher adoravam esta especialidade e ele levava dois sacos cheios destas salsichas de peixe para a sua mulher. Um outro saco ofereceu-nos. Guardámos para fazer de jantar mais tarde nessa noite, não aguentámos! Foi sem dúvida o pior prato que comemos após 8 meses na Ásia, e não se esqueçam que a Matilde experimentou uma minhoca (risos)!

Para além desta oferta, este jovem também se ofereceu para fazer um desvio do seu caminho e nos deixar precisamente no porto onde iríamos apanhar o barco para as Perhentian Islands. Assim que chegamos tivemos má notícia que nesse dia, os barcos já tinham acabado, o que equivaleria a termos que dormir na pequena vila de pescadores. Ou não! Mais uma grande sorte, com tanta gente a viajar para ir votar, tudo se atrasou, inclusive grupos grandes que já tinham marcado o barco, que esperou por eles e que acabou por também nos levar. Ao apanhar este barco tardio escapámo-nos também, viemos mais tarde saber, aos custos de entrada da ilha para manutenção da mesma que na verdade muito duvidamos que seja esse o destino do dinheiro atendendo à quantidade de lixo que se fazia ver na ilha.

Ainda vimos um magnífico pôr do sol no barco com um grande grupo de turistas que claramente já tinha estudado tudo sobre o destino que nos aproximávamos. Para variar nós fomos ao sabor do vento e não sabíamos nada sobre estas ilhas que, perceberamos nesse momento, tratarem-se de ilhas e não ilha. No mesmo momento em que nos perguntam para qual queremos ir! Perguntámos as maiores diferenças entre as duas ilhas, uma maior com menos gente e outra mais pequena onde os backpackers se reuniam. 

Assim, lá nós escolhemos ir para a ilha Perhentian Kecil, a ilha mais pequena, claro, com perspetivas de também conhecer a outra. Chegámos e perguntámos a uns locais qual o sítio mais barato para ficar na ilha e foi assim que a aventura começou.

Planeámos ficar 3/4 dias, nos primeiros dias chegámos a pensar em ir embora, mas no final, acabámos por ficar três semanas. Acompanhem todas estas aventuras e a nossa estadia nesta ilha líndissíma no próximo artigo no Ardinas 24. Para os mais curiosos podem ficar a saber mais sobre o que temos a dizer sobre esta ilha no nosso Guia Completo das Perhentian Islands.

Até lá, acompanhem também as novidades no nosso site , Instagram e/ou Facebook , onde acabámos de revelar o nosso próximo destino!

Com amor,

Matilde e Miguel

Sobre TravelB4Settle 25 artigos
Somos a Matilde e o Miguel, um casal de portugueses que deixou tudo para trás e decidiu seguir o sonho em comum! E que sonho é esse? Viajar a tempo inteiro e explorar todo o mundo enquanto trabalhamos online! Não, não somos especialistas em tecnologia e nunca fizemos nada online, mas, hoje em dia, tudo aquilo de que precisas é conexão à internet e uma forte vontade. Assim, podes aprender qualquer coisa e consegues o que quiseres! E isto foi o que fizemos: virámos as costas à sociedade e ao caminho tradicional (imposto por esta) e lançámo-nos nesta aventura com o objetivo principal de ajudar todos os que têm o mesmo sonho que nós! Estamos nas grandes redes sociais como “Travelb4Settle” e agora estamos no ARDINAS 24 a partilhar as nossas experiências e conhecimento sobre o mundo que andamos a descobrir! O online e o planeta terra!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.