Época de exames: o que fazer nas pausas do estudo?

A época dos exames está a chegar e, com isso, regressam as longas maratonas de estudo intensivo. Os estudantes, seja os do Ensino Superior ou do Secundário, procuram sistematizar o conhecimento e garantir que têm tudo na ponta da caneta no dia da prova. Contudo, vários estudos já provaram algo que todos gostamos de ouvir: é importante fazer pausas. E muitas.

A quantidade de horas de estudo não garante a qualidade das mesmas. Vários investigadores já perceberam que o ideal é estudar em blocos de cerca de 45 ou 50 minutos, ao fim dos quais os estudantes devem fazer uma pausa. Se este é o método que já segues, então deves poder confirmar como é verdade. Se ainda não experimentaste e és daqueles que acha que estudar é passar uma tarde inteira agarrado a um livro, experimenta mudar um pouco a tua estratégia.

O segredo é incluir pausas que não ultrapassem os 15 minutos. Todos gostamos de ter ordem de soltura e poder largar os estudos por um momento. Mas aí levanta-se a questão: o que fazer nesses 15 minutos de descanso? O ARDINAS 24 sugere-te algumas ideias que podes aproveitar!

 

Descansa a vista

Seja através de um livro, seja ao computador, o tempo que passamos a estudar torna-se excessivamente pesado para os nossos olhos. Ao fixarmos um ecrã, por exemplo, reduzimos o número de vezes que pestanejamos e, com isso, os nossos olhos secam, o que está longe de ser benéfico à nossa saúde. Assim, nos teus 15 minutos de pausa, garante que passas a maior parte deles longe de qualquer ecrã. Ignora até mesmo o telemóvel – ou reserva apenas os dois minutos finais para responderes a alguma mensagem que tenhas recebido. Quanto à televisão, nem te atrevas a ligá-la: facilmente encontramos um programa que nos atraia e ficamos a vê-lo eternamente. Assim, os teus olhos têm o descanso necessário para outros 45 minutos de estudo.

 

Bebe um café ou chá

A concentração para o estudo sai beneficiada com uma chávena de café, que nos dá uma boa dose de energia – além, claro, de satisfazer a nossa boca. É apenas preciso ter em conta o consumo diário que fazemos de café, pois é importante não ir além das três chávenas. No entanto, se fores daqueles alunos que acaba por se preocupar demasiado com o estudo, ou com o exame que se aproxima, ou com o tempo que passa a correr para aquilo que ainda tens de fazer, talvez um chá seja uma boa opção, porque vai acalmar-te.

 

Sai para a rua

Nada como um pouco de sol e ar fresco para despertarmos do estudo. Quer estejas em casa quer num sítio público (e já te demos excelentes ideias de locais onde podes estudar livremente) procura sempre pôr o pé na rua. Assim, além de mudares de ambiente, esticas as pernas e movimentas-te um pouco, o que faz bem aos músculos e à própria circulação de sangue. Quando voltares, é certo que sentirás uma enorme diferença na tua disposição para estudar.

 

Come – mas nem tudo!

A comida é o nosso combustível. Dá-nos energia física, mas também mental para lidarmos com a exigência deste período. É importante comer e, sobretudo, saber o que comer. Opções não faltam, mas difícil será decidirmo-nos pelas soluções mais saudáveis. Em vez de bolos ou sandes, opta por fruta, que está repleta de vitaminas e antioxidantes e se come muito rapidamente e sem grande trabalho. Maçãs, bananas e morangos são apenas alguns dos exemplos que podes ter contigo. Além disso, podes optar por barras de cereais, bolachas de água e sal ou frutos secos.

 

Ouve música (e dança)

Já vimos como é importante mexer-nos e afastar-nos das áreas de estudo. As pausas são o tempo ideal para pormos os auriculares nos ouvidos e escutarmos as nossas músicas preferidas e, porque não?, dançar ao som delas ou deixar-nos levar pelas suas emoções. Voltarás ao estudo, decerto, com uma disposição muito maior!

 

Joga e convive

Em muitos cafés ou salas de estudo, existem espaços onde poderás jogar à vontade. Não nos referimos, claro, a jogos de consola ou telemóvel. Referimo-nos a clássicos de que ninguém prescinde, como os matraquilhos, os dardos ou mesmo uma mini-partida de futebol com os colegas de estudo. É uma oportunidade de pôr o corpo a mexer, de estar com outras pessoas, fazer ou consolidar amizades, rir e relaxar. 

Fotos: Pixabay

 

Este artigo foi construído em parceria com a EXPLICA-ME, a plataforma que te permite encontrar o teu explicador ideal! Clica na imagem para conheceres este projeto:

Sobre Gonçalo Esteves Coelho 363 artigos
Sou um poço de contradições. Não gosto de falar mas sou jornalista. Adoro escrever mas cada vez leio menos. Sou sereno mas não consigo resistir a soltar a minha alegria quando escuto música popular. Não gosto do calor mas adoro o mar português, a sua frescura, o seu sal, as histórias que tem para nos contar. Odeio tomar decisões e, no entanto, sou o CEO deste projeto. Nasci em Lisboa, há 21 anos. O meu coração, vermelho e verde, bate por Portugal e por todos aqueles em cujas veias corre igual amor a este país, à nossa gente, à nossa cultura. Vivo perto de Sintra, esse livro de História a céu aberto, em cujos recantos gosto de me perder. Adoro museus, palácios, castelos e igrejas. Regressei ao Ensino Superior e lancei-me numa nova aventura, sem a qual não conseguiria realizar-me totalmente: o estudo da História. Em pequeno, havia quem me dissesse que iria ser jornalista. Também me diziam que deveria ser professor de História e que tinha tudo para ser um novo José Hermano Saraiva. Se calhar sou muito transparente naquilo de que gosto, ou então essas pessoas conheciam-me muito bem. Acertaram. O que virá depois eu não sei. Escolha que caminho escolher, terei de ser eu próprio. Sempre.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.