Janeiro tem novo single e um álbum a sair

Ganhou uma extraordinária visibilidade com a participação no último Festival da Canção e tornou-se, então, uma das grandes novidades da Pop em Portugal. A curiosidade que Janeiro despertou junto do público justifica a curiosidade com o primeiro álbum do cantor, a sair dia 1 de junho.

Surge no primeiro dia do próximo mês o disco “Fragmentos“, o primeiro trabalho de Janeiro. Do disco farão parte 15 faixas, entre os quais os famosos Canção Para Ti e (sem título), esta última que participou, em março, no Festival da Canção, e também o novo single do cantor, que começa agora a ouvir-se nas rádios e que tem por título Preguiça. O vídeo desta canção já foi, entretanto, disponibilizado no Youtube.

O disco de Janeiro junta todas as suas influências e tem como fio condutor a canção portuguesa, revestida de arranjos pop com um minimalismo do R&B e do Jazz. É composto por 12 canções que funcionam como pedaços da vida de Janeiro, histórias e vivências, que são intercaladas por três interlúdios onde a banda improvisa em estúdio.

No próprio dia do lançamento deste LP, o músico vai apresentá-lo ao público num showcase em formato acústico na Pensão Amor, no Cais do Sodré, às 18h30. A entrada é gratuita e é uma oportunidade que os fãs têm para entrar no ambiente criativo deste jovem compositor e intérprete.

Fonte: Ruela Music

Sobre Gonçalo Esteves Coelho 363 artigos
Sou um poço de contradições. Não gosto de falar mas sou jornalista. Adoro escrever mas cada vez leio menos. Sou sereno mas não consigo resistir a soltar a minha alegria quando escuto música popular. Não gosto do calor mas adoro o mar português, a sua frescura, o seu sal, as histórias que tem para nos contar. Odeio tomar decisões e, no entanto, sou o CEO deste projeto. Nasci em Lisboa, há 21 anos. O meu coração, vermelho e verde, bate por Portugal e por todos aqueles em cujas veias corre igual amor a este país, à nossa gente, à nossa cultura. Vivo perto de Sintra, esse livro de História a céu aberto, em cujos recantos gosto de me perder. Adoro museus, palácios, castelos e igrejas. Regressei ao Ensino Superior e lancei-me numa nova aventura, sem a qual não conseguiria realizar-me totalmente: o estudo da História. Em pequeno, havia quem me dissesse que iria ser jornalista. Também me diziam que deveria ser professor de História e que tinha tudo para ser um novo José Hermano Saraiva. Se calhar sou muito transparente naquilo de que gosto, ou então essas pessoas conheciam-me muito bem. Acertaram. O que virá depois eu não sei. Escolha que caminho escolher, terei de ser eu próprio. Sempre.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.