Quem não arrisca não petisca!

Continuamos no paraíso das Perhentian Islands e temos tido aventuras daquelas que iremos levar connosco para sempre. Descansem que iremos partilhar aqui, assim que as aventuras estiverem em dia!

Ainda se lembram das últimas peripécias pela Tailândia? Pois, por mais incrível que pareça, a aventura que vos vamos contar hoje já é passada na Malásia (o nosso destino depois da Tailândia), mas por algo que se passou na Tailândia! Confusos? Nós explicamos.

Langkawi foi o nosso primeiro destino da Malásia e tinha tudo para ser excelente, mas algo se passou: algo que a maioria tanto teme quando pensa nestas viagens por sítios mais tropicais, como estes por onde andamos. O Miguel ficou doente! Infelizmente, não estamos a falar de uma pequena constipação. O Miguel, de um momento para o outro, sentiu-se muito mal disposto e sem forças e, quando chegámos a casa, já estava com febre muito alta, que só piorou durante a noite, razão que nos levou ao hospital público. Aqui faziam-nos pagar 20 euros de registo de entrada e pelo menos o dobro por cada análise/teste realizado. Ficámos tão chocados com o preço que a própria rececionista do hospital nos sugeriu irmos a uma clínica privada, pois seria mais barato. E era verdade, por mais estranho que pareça!

Momentos antes da quebra

Após uma data de análises, que mostraram que o Miguel tinha as defesas muito em baixo, o médico falou-nos da possibilidade de ser febre do mosquito Dengue, que o Miguel teria provavelmente apanhado na Tailândia, visto não existir este mosquito de momento na Malásia.

Para quem não sabe, este mosquito é muito comum no Sudoeste Asiático e pode ser muito perigoso visto não haver cura para esta febre. Normalmente os sintomas são febres muito altas, dores no corpo (especialmente dores fortes atrás dos olhos), grande fadiga e a diminuição exponencial das defesas. O Miguel sentia todos estes sintomas, contudo acreditamos que ele tenha tido um dos tipos de Dengue (existem quatro tipos diferentes) mais fraco. Isto porque, embora tendo passado mais de uma semana de cama, com febre a 39/40 graus, o Miguel conseguiu recuperar totalmente sem ter que ser internado, apenas mantendo-se o mais saudável possível! O susto foi grande e foi uma semana para esquecer, mas por outro lado serviu para tirarmos uma lição bem valiosa.

A verdade é que Dengue não tem cura, mas também a precaução é simples, e passa apenas por aplicar um repelente anti-mosquitos e usar roupa adequada (quanto mais coberto, menor será a probabilidade de picada). Confessamos que é difícil a disciplina neste aspecto e infelizmente é normal, depois de alguns meses de viagem, começar a haver despreocupação. E foi isso que nos aconteceu… Mas, hoje, olhamos para trás e acreditem que dois minutos por dia de precaução contra os mosquitos custam incomparavelmente menos do que aquela semana.

É muito comum em Portugal e em geral pela Europa a ideia dos “perigos imensos” que existem no Sudeste Asiático: intoxicações de variados tipos, animais perigosíssimos e febres mortíferas. Infelizmente, as informações são sempre exageradas e a realidade é bem menos assustadora. Em sete meses intensos de viagem, atravessando montanhas e desertos, cidades gigantescas e praias paradisíacas, por mais de 20 sítios diferentes, apanhamos apenas dois sustos… Este e o belo do macaco. E apenas por despreocupação.

Quem não arrisca não petisca!”

Um provérbio português bem conhecido que nunca fez tanto sentido. Viajar tem os seus riscos, e ambos sabemos disso. Mas, olhando para trás, analisando todos os episódios e experiências incríveis que tivemos, pessoas fenomenais que cruzaram o nosso caminho e momentos arrepiantes que temos nas nossas memórias… Qualquer risco valeu a pena. E estas recompensas só nós fazem querer continuar as nossas aventuras por este mundo fora… Mas, claro, com as devidas precauções!

Não percam as próximas partilhas porque a Malásia foi bem mais do que esta febre!

Com amor,
Matilde e Miguel

Sobre TravelB4Settle 22 artigos
Somos a Matilde e o Miguel, um casal de portugueses que deixou tudo para trás e decidiu seguir o sonho em comum! E que sonho é esse? Viajar a tempo inteiro e explorar todo o mundo enquanto trabalhamos online! Não, não somos especialistas em tecnologia e nunca fizemos nada online, mas, hoje em dia, tudo aquilo de que precisas é conexão à internet e uma forte vontade. Assim, podes aprender qualquer coisa e consegues o que quiseres! E isto foi o que fizemos: virámos as costas à sociedade e ao caminho tradicional (imposto por esta) e lançámo-nos nesta aventura com o objetivo principal de ajudar todos os que têm o mesmo sonho que nós! Estamos nas grandes redes sociais como “Travelb4Settle” e agora estamos no ARDINAS 24 a partilhar as nossas experiências e conhecimento sobre o mundo que andamos a descobrir! O online e o planeta terra!

2 Comentários

  1. Olá Miguel e Matilde obrigados por partilharem a vossa aventura. Continuem a vossa descoberto por esse mundo fora conhecendo pessoas e lugares incríveis. Muitas felicidades e tenham cuidado não se esqueçam do repelente para os mosquitos. Cumprimentos.

    • Quintino, que agradável surpresa foi ler o seu comentário. Continuaremos com as aventuras e a reporta-las por aqui, mas claro sempre com (mais) cuidado.
      Beijinhos e abraços,
      Matilde e Miguel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.