Por eles, faz a tua pesquisa

Mais um destino se aproxima! Como prometemos, esta será a nossa última história sobre a Tailândia. Isso quer dizer que para a semana iniciam-se as aventuras pela Malásia, e que aventuras temos para vos contar! Não percam…

Desta vez, não viemos contar as nossas histórias/aventuras. Viemos, em lugar disso, falar de uma coisa séria que nos preocupou bastante quando estávamos na Tailândia e que nos continua a preocupar, e que, infelizmente, não se passa só neste país. Portanto, hoje vamos falar de elefantes! Mais propriamente, do turismo criado à volta deste animal tão maravilhoso, que parece ser tão monstruoso e invencível, mas que, mesmo assim, com maldade, o ser humano consegue vencê-lo.

Pois é, já deu para compreender que hoje não temos histórias felizes… Mas, sabem, às vezes é necessário alertar, pois, talvez se nós não nos tivéssemos informado, também teríamos caído nas ‘’armadilhas’’.

Provavelmente têm um amigo, ou conhecem um amigo de um amigo, que já andou de elefante, ou se calhar até já tu próprio andaste em cima de um ou pagaste para tirar uma foto com um… Pois bem, isto parece espetacular quando dito assim! Quem não adoraria estar perto de um, andar em cima dele… “Uau, que emoção!”, pensamos. Sim, mas só para nós! Eles sofrem com isso e não é pouco…

Os elefantes selvagens não deixam os humanos andarem em cima deles, certo? Pois! Então, para domar um elefante selvagem, ele é torturado desde bebé para quebrar completamente o seu ‘’espírito’’. O processo é chamado ‘’Phajaan’’, e envolve tirar os bebés elefantes das suas mães e confiná-los a um espaço muito pequeno, como uma gaiola ou um buraco no chão, onde eles não se conseguem mover. Neste espaço, são então espancados até à submissão com paus, perfurados com ganchos de touro afiados e, simultaneamente, passam fome e são privados de sono por muitos dias.

É um processo horrível do qual poderão saber mais mesmo ao assistirem a vídeos no Youtube. Sabemos que é algo muito forte, mas quisemos realmente explicar-vos este processo para que possam perceber as consequências de algo que é feito por 40% dos turistas que visitam a Tailândia anualmente. Estes são dados de 2016, fornecidos pela World Animal Protection, que relembram que anualmente este país recebe 30 milhões de turistas, o que equivale a 13 milhões de turistas a montarem elefantes. É importante relembrar que, para além do tratamento que estes animais têm para se tornarem submissos, eles também têm danos físicos graves e crónicos pela prática (inventada pelo humano) de o elefante servir para ser montado. A morfologia deste animal não está preparada para o peso de um humano, portanto o que acontece algumas vezes a este animal gigante é partir a coluna! Conseguem imaginar?

Felizmente, também há boas notícias. Com o aumento da circulação da informação sobre estas situações começa a haver mais alternativas, e é por isso que começam a existir santuários/parques naturais que resgatam os elefantes de associações que maltratam estes animais. Estes santuários, de uma outra forma, também estão a utilizar estes animais como atração turística, mas de uma forma que seja benéfica para todos. Como? Bem, como a maioria das atividades com estes animais, os preços são bastante elevados, e pode-se interagir com os elefantes, mas apenas para os servir, ou seja, dar-lhes comida, banho ou apenas assistir a estes animais a conviver com os restantes companheiros. Não será isto uma bênção suficiente?

Claro está, também já existem associações que se proclamam como associações de resgate de elefantes que outrora sofriam maus tratos, para levar mais pessoas a aderirem aos seus serviços, e depois o tratamento é o mesmo. Os elefantes estão acorrentados, e são agredidos para obedecer. Ou seja, é fundamental que, antes de escolherem qualquer associação/santuário/parque nacional para visitarem os elefantes, se informem bastante em relação ao mesmo.

Ou então fazem como nós e tentam saber onde podem encontrar ainda animais selvagens (uma coisa cada vez mais rara em todo o mundo), e esperam que um dia tenham essa sorte. Nós não tivemos, mas continuaremos a tentar.

E isso não vai ser difícil, sabem porquê? Bem, digamos que as histórias da Tailândia terminaram por aqui no Ardinas 24, por agora! Sim, vamos voltar à Tailândia brevemente! Não aqui, na vida real! (Risos) Por isso, não nos deixem de acompanhar diariamente em www.instagram.com/travelb4settle e www.facebook.com/travelb4settle

PS: na pesquisa para escrever este artigo, encontrámos este canal do youtube que tem vários episódios que explicam factos muito interessantes sobre este ser impressionante que é o elefante!

Agora sim, com amor,

Matilde e Miguel.

Sobre TravelB4Settle 25 artigos
Somos a Matilde e o Miguel, um casal de portugueses que deixou tudo para trás e decidiu seguir o sonho em comum! E que sonho é esse? Viajar a tempo inteiro e explorar todo o mundo enquanto trabalhamos online! Não, não somos especialistas em tecnologia e nunca fizemos nada online, mas, hoje em dia, tudo aquilo de que precisas é conexão à internet e uma forte vontade. Assim, podes aprender qualquer coisa e consegues o que quiseres! E isto foi o que fizemos: virámos as costas à sociedade e ao caminho tradicional (imposto por esta) e lançámo-nos nesta aventura com o objetivo principal de ajudar todos os que têm o mesmo sonho que nós! Estamos nas grandes redes sociais como “Travelb4Settle” e agora estamos no ARDINAS 24 a partilhar as nossas experiências e conhecimento sobre o mundo que andamos a descobrir! O online e o planeta terra!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.