Ambienta-te – Diz não à palhinha!

Sabias que em Portugal, segundo um estudo da SAR (Seas At Risk), são consumidos cerca de mil milhões de palhinhas, 721 milhões de garrafas de plástico e 259 milhões de copos de café?

Este tipo de produtos descartáveis, além de serem um desperdício enorme de recursos, na sua maioria vão parar às praias portuguesas, ou porque as pessoas não os reciclam ou porque as despejam diretamente na praia. Além disso, como são leves, podem facilmente chegar aos rios ou ao mar.

O problema dos plásticos nos rios e oceanos prejudica as espécies e mata milhares de animais marinhos e fluviais todos os anos, além de poluir e inutilizar um recurso essencial para a sobrevivência do mundo: a água. Atualmente, existem cinco ilhas de lixo nos oceanos, maioritariamente compostas por plástico. Isto é um problema de elevada extensão. No vídeo em baixo podes ver alguma da extensão desta assustadora poluição:

Uma temática que tem surgindo cada vez mais é a presença de microplásticos nos oceanos. Os microplásticos são itens de plástico de tamanho inferior a cinco milímetros e resultam essencialmente da fragmentação física, química e biológica de itens de maiores dimensões. Os animais nos oceanos e rios consumem estes microplásticos que estão no seu ambiente, logo, quando consomes estes animais na tua dieta tu também estás a comer plástico!

A ideia que te apresento? Começar a dizer: NÃO À PALHINHA!

As palhinhas são usadas essencialmente em cafés e restaurantes nas bebidas, ou então as versões mini de algumas bebidas que compramos trazem palhinhas. No entanto, as palhinhas são um dos produtos mais desnecessários do planeta. Com exceção de pessoas com necessidades médicas, as palhinhas não são necessárias para o consumo de bebidas. Uma palhinha que usas em cinco minutos ou ainda em menos tempo demora mais de 400 anos a ser degradada.

Por isso, quero convidar-te a recusar palhinhas em restaurantes, cafés e bares, pois na realidade tu não precisas delas! Se quiseres mesmo utilizar existem alternativas sustentáveis como palhinhas de bambu, vidro, aço inoxidável ou comestíveis. Partilha ainda a tua visão com os teus amigos para teres mais impacto. Tão simples – podes começar a não contribuir para este problema ao dizeres “não” a algo que nem sequer é necessário.

Se quiseres fazer mais e ir mais longe para mudar podes criar no teu concelho um movimento como o Movimento Claro, que surgiu de uma iniciativa de três amigas que pretendem, através de ações de sensibilização em Cascais junto de restaurantes, cafés e bares, que estes deixem de oferecer palhinhas de plástico.

Também em 2016 surgiu a Straw Patrol um movimento que tem o objetivo de “educar para a literacia dos oceanos” e levar as pessoas a mudar os comportamentos. Todos os meses, por um ou dois dias, este movimento leva a cabo acções de limpeza e recolha de lixo perdido nas quais tu podes participar (basta seguir as ações na página de Facebook: (https://www.facebook.com/StrawPatrol/). Em baixo podes ver um vídeo sobre a Straw Patrol:

A partir de hoje compromete-te a dizer: NÃO À PALHINHA! Sê sustentável, Ambienta-te!

Sobre Ana Margarida Pereira 75 artigos
Mulher das Ciências de diploma e aprendiz de Comunicadora de Ciência aventuro-me pelo mundo do Jornalismo - aqui no Ardinas escrevo na secção de Ciência. Os meus traços mais peculiares, fora a personalidade, para a maioria das pessoas, é viver na Amadora, ser alérgica à canela e apesar de não ter piada nenhuma querer ser comediante.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.