Salvador Sobral regressa aos palcos

O tão esperado regresso do vencedor do Festival Eurovisão da Canção aos palcos e aos compromissos profissionais é já no próximo mês de maio e pleno de boas notícias: a sua estreia nos Açores, uma longa digressão em Espanha e novidades sobre um novo disco ainda em 2018.

Oito meses depois de se ter retirado dos palcos para tratamento de um problema de saúde, Salvador Sobral regressará aos concertos com a rentrée marcada para o Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, no dia 26 de maio. Este regresso coincide com a estreia do cantor no arquipélago dos Açores. “Regressar a partir do meio do Atlântico é uma imagem metafórica muito bonita e interessante, depois das provações dos últimos meses”, refere o management de Salvador Sobral.

No final de junho é tempo de seguir para Espanha, onde o cantor fará uma longa e intensa digressão, com início no Teatro Cervantes, em Málaga, a 27 de junho. Seguem-se atuações em Barcelona, Valência, Cartagena e San Sebastián, tudo durante o mês de julho. Salvador Sobral promete também o regresso aos discos, estando já a preparar o seu segundo álbum de originais que deverá sair ainda em 2018.

O cantor já garantiu que vai também estar presente no Festival Eurovisão da Canção, em Lisboa, para, pelo menos, entregar o troféu do certame ao novo vencedor.

Fonte: Valentim de Carvalho

Foto: Carina Ferreira / ARDINAS 24

Sobre Gonçalo Esteves Coelho 363 artigos
Sou um poço de contradições. Não gosto de falar mas sou jornalista. Adoro escrever mas cada vez leio menos. Sou sereno mas não consigo resistir a soltar a minha alegria quando escuto música popular. Não gosto do calor mas adoro o mar português, a sua frescura, o seu sal, as histórias que tem para nos contar. Odeio tomar decisões e, no entanto, sou o CEO deste projeto. Nasci em Lisboa, há 21 anos. O meu coração, vermelho e verde, bate por Portugal e por todos aqueles em cujas veias corre igual amor a este país, à nossa gente, à nossa cultura. Vivo perto de Sintra, esse livro de História a céu aberto, em cujos recantos gosto de me perder. Adoro museus, palácios, castelos e igrejas. Regressei ao Ensino Superior e lancei-me numa nova aventura, sem a qual não conseguiria realizar-me totalmente: o estudo da História. Em pequeno, havia quem me dissesse que iria ser jornalista. Também me diziam que deveria ser professor de História e que tinha tudo para ser um novo José Hermano Saraiva. Se calhar sou muito transparente naquilo de que gosto, ou então essas pessoas conheciam-me muito bem. Acertaram. O que virá depois eu não sei. Escolha que caminho escolher, terei de ser eu próprio. Sempre.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.