Semana Num Minuto – 29 de janeiro a 4 de fevereiro

Andamos à pressa, trabalhamos demasiado e vivemos a mil. Entretanto, o mundo vive intensamente e a informação sucede-se, mas nós não conseguimos captá-la devidamente. Sente, com razão, que não sabe o que se passa em Portugal e no Mundo? O ARDINAS 24 resolve o problema apresentando, todos os domingos, a Semana Num Minuto.

Fizz e Lex: as novas novelas judiciais

Rui Rangel está envolvido numa das investigações.

Portugal vê-se de novo a braços com grandes casos de corrupção na Justiça. No Caso Fizz, onde se investigam as contrapartidas recebidas pelo ex-magistrado do Ministério Público Orlando Figueira para favorecer o arquivamento de investigações que podiam pôr em causa o bom nome de alguns membros da elite política de Angola, principalmente o seu ex-vice Presidente, Manuel Vicente. O caso, que abriu tensão entre o país e Portugal, ganhou novos contornos este fim-de-semana, com a emissão de um mandado de detenção, pois pensava-se que Manuel Vicente poderia estar em Portugal. A defesa não se manifestou quanto a essa possibilidade.

No caso Lex, os suspeitos Rui Rangel e Fátima Galante, dois juízes desembargadores, em tempos casados, foram afastados do exercício da sua profissão. As investigações decorrem ainda e envolvem também figuras de peso do SL Benfica, como Luís Filipe Vieira ou Fernando Tavares. Em causa está corrupção ativa, branqueamento de capitais, tráfico de influências e fraude fiscal.

 

Ministro das Finanças desculpado do caso dos bilhetes do Benfica

Mário Centeno pode já respirar de alívio, depois de o caso relacionado com a sua encomenda de convites ao SL Benfica para ir assistir a um jogo ter sido fechado. O Ministério Público chegou ainda a fazer investigações no Ministério das Finanças para determinar se havia mais alguma relação entre o Ministro das Finanças e Luís Filipe Vieira, mas não encontrou nada de comprometedor para o ministro. Desta situação, fica apenas a irritação do PS e de António Costa quanto a estas buscas no edifício “comandado” por Centeno.

 

Trump apelou à união

Lá fora, Donald Trump surpreendeu no seu primeiro discurso do Estado da União, realizado no Congresso dos Estados Unidos na passada terça-feira. O Presidente apelou à união nacional e à serenidade dentro das fronteiras, destacou os baixos níveis de desemprego e sublinhou a força da situação atual norte-americana, que ele descreveu como se tratando de “um novo momento americano”. A questão militar – nomeadamente o reforço das armas nucleares – também foi um tópico importante. O Presidente conteve-se nos excessos e seguiu o discurso, bastante formal para aquilo que é a sua personalidade.

 

Reviravolta no campeonato

Foi um fim-de-semana com jogos importantes e resultados inesperados, que agitaram profundamente a tabela classificativa da Primeira Liga Portuguesa. Enquanto o SL Benfica goleou o Rio Ave por 5-1, o Sporting CP perdeu em casa do Estoril, por duas bolas a zero. Tal facto colocou os dois clubes rivais com o mesmo número de pontos(50), mas com uma ligeira vantagem para o clube da Luz, que ocupa agora o segundo lugar da tabela. O primeiro lugar é ocupado pelo FC Porto (52 pontos), que venceu por 3-1 o Sporting de Braga.

Sobre Gonçalo Esteves Coelho 358 artigos
Sou um poço de contradições. Não gosto de falar mas sou jornalista. Adoro escrever mas cada vez leio menos. Sou sereno mas não consigo resistir a soltar a minha alegria quando escuto música popular. Não gosto do calor mas adoro o mar português, a sua frescura, o seu sal, as histórias que tem para nos contar. Odeio tomar decisões e, no entanto, sou o CEO deste projeto. Nasci em Lisboa, há 21 anos. O meu coração, vermelho e verde, bate por Portugal e por todos aqueles em cujas veias corre igual amor a este país, à nossa gente, à nossa cultura. Vivo perto de Sintra, esse livro de História a céu aberto, em cujos recantos gosto de me perder. Adoro museus, palácios, castelos e igrejas. Regressei ao Ensino Superior e lancei-me numa nova aventura, sem a qual não conseguiria realizar-me totalmente: o estudo da História. Em pequeno, havia quem me dissesse que iria ser jornalista. Também me diziam que deveria ser professor de História e que tinha tudo para ser um novo José Hermano Saraiva. Se calhar sou muito transparente naquilo de que gosto, ou então essas pessoas conheciam-me muito bem. Acertaram. O que virá depois eu não sei. Escolha que caminho escolher, terei de ser eu próprio. Sempre.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.