A mexer desde 2006

Estamos a três meses do Verão e há quem comece a tentar ficar “em forma”, mesmo que não precise ou que não queira. Isto porque parece mal levar para a praia, além da toalha e do chapéu-de-sol, um pneuzito ou outro. E, como esta é uma “preocupação” crescente, não foram apenas os ginásios que decidiram aproveitar a oportunidade.

Em 2006 (há mais de uma década – sintam-se velhos), nasceu o Wii Sports, um videojogo diferente da maior parte dos restantes no mercado, lançado praticamente em simultâneo com a então mais recente criação da Nintendo, a Nintendo Wii.

Do bowling ao tão icónico ténis, eram cinco as modalidades disponíveis para jogar sozinho ou em grupo, no primeiro título disponível da série Wii Sports.

Meses mais tarde, já em 2007, e dado o sucesso de Wii Sports como o revolucionário “videojogo saudável”, surgiu o Wii Fit, com uma plataforma similar a um step de aeróbica, que permite estender do comando (e do braço) a acção de todo o videojogo para outros movimentos e outras partes do corpo.

Uma aposta não tão fun, mas mais fit, que despertou em jovens e adultos a consciência para questões relacionadas com a saúde física, a saúde mental e os hábitos alimentares. Com a crescente aceitação do conceito, dois anos mais tarde, é lançado o Wii Fit Plus:

Também em 2009, quando o tempo começava já a convidar para algum exercício físico, surgiu o Wii Sports Resort, um quase update do original Wii Sports, com muito mais modalidades, novos níveis e novas formas de desfrutar do sucesso conquistado em 2006.

Com um novo adaptador para o comando Wii, este passou a permitir captar movimentos mais complexos. Desta forma, Wii Sports Resort conquistou vários novos fãs e assegurou a toda a família momentos de diversão, concentração e muita “ginástica”.

Se já experimentaram alguns destes títulos, talvez estejam a sentir saudades das raquetes e dos remos; se não, talvez esteja na hora de se renderem ao vício que é o desporto, quando praticado com empenho e de forma divertida.

Sobre Diogo Ventura 85 artigos
Cedo percebi que o meu caminho passaria pela criatividade e pela imaginação. Comecei com desenhos e rabiscos, passei a pequenas histórias e mais tarde cheguei à publicidade e às peças de humor. Foi também desde cedo que dei por mim a mergulhar no mundo dos videojogos, quase antes de começar a andar - até porque, quando jogava, jogava sentado. Anos mais tarde, licenciei-me em Publicidade e Marketing e trabalho há algum tempo na área do Marketing e da Criatividade Digital. No Ardinas 24, já escrevi e opinei, e sou agora autor da rubrica semanal Bonus Stage, um pequeno espaço sobre videojogos e o mundo do Gaming.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.