Harry Potter e o Sótão dos Criativos, parte II

Todas as histórias têm um princípio e um fim. E esta, como podem imaginar, não é exceção. Depois da primeira parte de “Harry Potter e o Sótão dos Criativos”, eis o segundo e último episódio desta mini épica saga… se é que assim se pode chamar.

Depois de uma renhida batalha, o vilão é derrotado e o corajoso herói sai vitorioso pela entrada principal do cénario, sob os aplausos de atores secundários, produtores e figurantes, que, feridos e cansados, esperam pelo final da cena para irem almoçar. Habitualmente, é assim que acontece nos filmes. Neste caso, não vai ser bem assim. Primeiro, a única batalha que costuma acontecer, por estes lados, é dentro da minha cabeça; e, segundo, não há aqui almoço para ninguém.

O final de “Harry Potter e o Sótão dos Criativos” pode não ser marcado por duelos ou torneios, mas continua, ainda assim, repleto de magia e criatividade. Tudo de forma mais subtil, claro. Assim sendo, para terminar da melhor forma esta história, trago-vos mais três anúncios que, não procurando promover diretamente a saga Harry Potter ou o trabalho de J.K. Rowling, produtores, atores e realizadores, baseou-se nesta épica história para, de diversas formas, comunicar marcas, marcos e produtos.

A primeira peça que vos trago passa tanto por um anúncio como por uma simples capa ou um separador informativo. Trata-se de um trabalho da CHI&Partners para o The Sunday Times, que procura anunciar o lançamento da lista dos mais ricos, recorrendo, neste caso, a vários elementos que tiveram um papel na saga Harry Potter, desde os atores principais à autora da obra. Um anúncio simples, imediato, com uma execução que não é perfeita, mas desperta a curiosidade, tornado-o, de certa forma, bastante interessante.

HP_SundayTimes

Se existem perguntas que todos já fizemos ou às quais todos já respondemos, esta pode muito bem ser uma delas: “Preferes o livro ou o filme?”. Na verdade, é grande a discussão em torno desta questão. Os que preferem ler apenas os livros porque ver os filmes é para “toda a gente”, de um lado; e, do outro, os que preferem apenas ver os filmes porque ler os livros é chato e aborrecido. Foi com base nesta questão e, nomeadamente, em todos os que preferem não ter de ler, que a agência brasileira RockerHeads elaborou a seguinte peça, para o Sebo Museu do Livro, de forma a mostrar que “Grande parte da história fica perdida, quando esta se transforma num filme”.

HP_MuseudoLivro

Para terminar,  trago-vos um anúncio que acho bastante curioso, ainda que um pouco confuso. É verdade que todos sabemos que acrescentar “Harry Potter e…” antes de qualquer coisa torna tudo muito mais interessante. Foi (mais ou menos) assim que a Emmpathy/Communion chegou a uma forma original de promover os livros da Libreria Tecnica (Argentina), que se foca, para além dos Best Sellers, nos Less Sellers, os livros mais técnicos e específicos, geralmente com menos saída. Para além de poder desfrutar da magia de Harry Potter, o leitor pode, assim, também perceber melhor e descobrir como funcionam os encantamentos e as poções através de livros científicos e um pouco mais técnicos e complexos.

HP_PotionsBook

Com este artigo, termina uma viagem de três semanas por Hogwarts, livrarias, jornais e empresas de todo o mundo, repleta de magia, ideias criativas e de muita vontade de tornar o mundo num lugar um bocadinho melhor. Eu regresso na próxima sexta-feira com mais novidades e sugestões inspiradoras, para que não deixem fugir o pequeno mágico criativo que têm dentro de vocês.

Imagens: Ads of the World

Sobre Diogo Ventura 105 artigos
Cedo percebi que o meu caminho passaria pela criatividade e pela imaginação. Comecei com desenhos e rabiscos, passei a pequenas histórias e mais tarde cheguei à publicidade e às peças de humor. Foi também desde cedo que dei por mim a mergulhar no mundo dos videojogos, quase antes de começar a andar - até porque, quando jogava, jogava sentado. Anos mais tarde, licenciei-me em Publicidade e Marketing e trabalho há algum tempo na área do Marketing e da Criatividade Digital. No Ardinas 24, já escrevi e opinei, e sou agora autor da rubrica semanal Bonus Stage, um pequeno espaço sobre videojogos e o mundo do Gaming.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.